quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Resenha #198 Bad Mommy

Título: Bad Mommy
Autor: Tarryn Fisher
Editora: CreateSpace Independent Publishing Platform
Gênero: Thriller, Contemporary
Páginas: 231
Ano: 2016
Classificação: 4 estrelas



Sinopse: Quando Fig Coxburry compra uma casa na Rua Barett Street, não é porque ela gosta do bairro, nem porque gosta da casa. É porque tudo que ela deseja está na porta ao lado: o marido, a criança, e a vida que pertence à outra pessoa.


“Eu te vejo conquistando coisas que não merece, vivendo a vida. É uma tremenda merda. Fico ressentida porque sou mais merecedora do que você. Eu poderia ser uma melhor “você”. Fim da história. Eu sou cada mulher, estão todas em mim”. - Fig


Por onde começar? Todo mundo sabe que a Tarryn é louca, mas este livro foi o mais maluco ever. Superou Mud Vein (na insanidade apenas, na genialidade MV ainda é o THE BEST EVER!). Aqui temos três pontos de vista diferentes. O primeiro deles é da Fig. Como posso começar a falar desta mulher? Sabe aquelas pessoas para quem não existem limites no que diz respeito a conseguirem exatamente TUDO que elas querem? Pois é, não há limites para a Fig. 

Fig é uma mulher separada (foque na palavra separada), que viu seu casamento desmoronar após perder seu bebê. Depois de tudo em sua vida ter dado errado, ela encontra Mercy, uma garotinha que mexe tanto com seus sentimentos que a faz acreditar que é seu bebê perdido. O único problema é que a garotinha é filha da vizinha. Jolene é tudo que Fig gostaria de ser: bonita, jovem, descolada. Além disso, ela possui tudo o que Fig também gostaria de ter: um bom marido, uma ótima casa, amigos e, Mercy. O que acontece então? Fig se torna o pior pesadelo de Jolene. Após segui-la por onde quer que fosse, a maluca decide comprar a casa vizinha, e bola um plano para entrar de vez na vida da família ao lado. Só que quando ela consegue entrar, ela quer tirar a outra de cena. E é aí que o absurdo começa. Aos poucos, Jolene vê sua vida virar de cabeça para baixo e tudo pelo que ela mais zelava é destruído.

Não vou entrar muito nos detalhes. Acho que falei demais até, foi por isso que demorei tanto tempo para resenhar este livro. Tarryn criou uma história horripilante, maluca... e, infelizmente, real. É impossível ler um livro da Tarryn e não pensar na realidade absurda das coisas. É assustador e brilhante. Apesar disso, não foi a melhor história dela que eu li. Faltou alguma coisa pra mim durante toda a leitura, embora o final bombástico tenha compensado. 

Eu super recomendo! Se está fim de ler algo genial, esta é a sua chance.